EM MANUTENÇÃO

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Continuação...

Mais algumas fotos daquela tarde.... mmmm.... quero mais...

Pois, aqui também é antes...

...e mais uma...

Bem... esta é já durante... he he he... mmm tão bom....

Claro que o durante não foi registado, como já disse no post anterior...

Mas o depois foi... em pleno descanso... acho que se olharem bem se consegue ver a minha passarinha a fumegar... Estava em brasa.... uiiiiiiiii....


Bom, e por fim vou deixar aqui um "close up" para os meus amigos e amigas fazerem alguma brincadeirinha que vos apeteça, e mandarem para o nosso mail o resultado... vá lá, sejam bonzinhos e boazinhas, e criativos, pois com certeza haverá mais....
  É toda vossa... he he he

Beijões doces...

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Uma tarde maravilhosa...

Olá amigos.
Hoje vou colocar algumas fotos bem recentes. Este fim de semana correu bastante bem.
Só nós dois, a desfrutar em pleno...
Aqui ficam umas fotitas aqui da Terra... Antes de levar com o Mar... rsrsrs

Na pose...

Que dizem???

Esta é a parte que põe o Mar revolto....

Vista geral.

E a partir daqui... esqueceu-se to trabalho de fotógrafo... he he he

E como tal, do resto da tarde, não há registo fotográfico... apenas mental. E esse é de uma tarde maravilhosa.

Beijos... e comentem, sugestionem, o que quiserem.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

À Noite na Piscina 1

Olá amigos. Obrigado pelos vossos comentários, mas gostaríamos que houvesse mais participação. Não se acanhem, e falem conosco. As vossas opiniões, pensamentos ou pedidos são muito bem vindos, e são eles que nos dão vontade de continuar. Se quiserem enviar emails, também podem, pois o nosso mail está mesmo aqui ao lado.

Feitos os agradecimentos, vamos ao que interessa.

Naquela noite quente, estávamos nós sozinhos em casa, pois os miúdos tinham saído para uma festa, e nós aproveitámos para relaxar na piscina, só os dois. A zona é bem reservada, pelo que podemos estar sempre à vontade, ou seja, não há fatos de banho. Claro que sempre que estamos sós na piscina, as coisas acabam por aquecer, pois o roçar dos corpos molhados no meio das brincadeiras leva a que os banhos se tornem maravilhosos...


Estávamos nós já bem quentes, entre beijos, apalpões e chupadelas, quando a campainha de entrada toca. Que raio de hora para aparecer alguém. O primeiro pensamento foi em não abrir, e deixar tocar, mas dada a insistencia, lá fui abrir. Enrolei uma toalha à cintura, enquanto a minha Terra saiu da piscina e enrolou também uma em volta de si, esperando nós que não fosse nada demorado.
Fui à porta, e ao olhar pelo óculo fiquei de imediato bastante agradado. Era um casal nosso amigo que havia já algum tempo não viamos, e que tinham tido a brilhante ideia de nos fazer uma surpresa. Abri a porta, e justifiquei-me da minha indumentária. Claro que eles não se importaram. Diga-se pois que este casal era amigo de outras "festas", e vamos agora chamar-lhe Mariana e Ricardo.

Entraram, e eu disse-lhe para irmos até lá fora, pois a Terra estava na piscina. Ao vê-los, ela cumprimentou-os, e olhou para mim com sorriso malandro na cara. Eu entendi a sua expressão. Claro que os convidei logo para um banho, ao qual eles acederam prontamente, ressalvando no entanto que não tinham fatos de banhos.

A Terra olhou para eles, e como que por magia, a toalha que ela tinha enrolada a si caiu pelo chão revelando as suas deliciosas formas, ao mesmo tempo que com um grande sorriso maroto lhe dizia: - E isso lá é problema...

Eu segui o seu exemplo, retirei a minha toalha e disse-lhes: -Vá vamos lá, que a água está óptima.

Mariana, sem hesitar despiu a camisa, deixando o seu grande e belo par de mamas a pedir liberdade. O que não tardou mesmo nada. Ela é também uma mulher muito bonita, de formas generosas e sensuais. Ricardo seguiu-lhe os actos com um grande sorriso: - Vocês estavam à nossa espera, é??? Como adivinharam que vínhamos??
- É o nosso sexto sentido...

A Terra entrou logo na água, e deitando-se de costas disse: - Vá venham lá que está óptima...
Nesta posição revelou os seus seios, que boiavam como duas grandes boias.  O pequeno rego de pelos da sua ratinha evidenciava-se na sua pele bronzeada.
- Está óptima está, e não é só a água... respondi-lhe eu.
- Ui se está... Estás linda. Acrescentou Ricardo.
- Hummm, obrigado meus queridos... Vocês são uns amores, mas olhem aqui a menina Mariana, ela sim está maravilhosa.

Respondeu a Terra, dando a mão a Mariana para a ajudar a entrar na água. Esta foi entrando devagar, e embora a noite estivesse quente, os bicos das suas mamas espetaram-se erectos ao contacto com a água.
A luz da piscina iluminava os seus corpos brilhantes, num jogo de sombras e luz.
Eu entrei na água, e mergulhei em direcção a Terra, e vindo de baixo até cima, percorri o seu corpo molhado, desde as suas coxas, passando pelos seus seios fartos e erectos, e abraçando-a, beijei-a, ao mesmo tempo que lhe segredei ao ouvido:- humm... esta noite promete...
- Humm humm... Yep... Parece que sim...
respondeu-me ela com aquele ar maroto...


(Continua)

(Imagens retiradas de:  
http://www.imagefap.com/image.php?id=1548862854
http://www.imagefap.com/image.php?id=1581562700)

domingo, 1 de agosto de 2010

My bOObs

Olá amigos.
Gostei muito dos comentários ao ultimo post.
(...)Quem sabe, não é???
Bom então vou presentear-vos com umas fotitas (poucas, pois não tem havido tempo), para que vocês me digam se gostam e o que gostariam de fazer com elas. Elas, as minhas gémeas... he he he.


Pedindo liberdade...

Uma já está...
AAAhhh.... finalmente livres....

BEIJOS....

domingo, 27 de junho de 2010

Ele há coisas!!!!

Nem de Propósito.
No mesmo dia em que o meu marido terminou a história da piscina aqui no blog, aconteceu uma coisa sensacional.
Nesse dia, logo pela manhã, e depois de oferecer umas frutas que trouxe lá do pomar a umas pessoas amigas, elas retribuíram, e ofereceram-me um pepino. E que pepino. O raio do vegetal era enorme. Grande e grosso. Quando senti aquilo nas minhas mãos deu-me uma imensa vontade de rir, com as coisas que me passaram pela cabeça.
Quando as pessoas saíram, analisei bem aquele objecto fálico, e imaginei que entrava no país das maravilhas: Ora aqui está um tamanho que agradaria de experimentar. E como estes pensamentos já eram muito explorados entre nós, ao passar as mãos por aquela enormidade, comecei a ficar excitada.

Imaginei-me com um negrão, não muito musculado, mas com o corpo bem definido, que pega em mim com umas mãos enormes, deita-me na cama, despe-me e percorre o meu corpo com os seus lábios carnudos. O meu doce marido ajuda-o a despir-me, e observa tudo sem perder pitada. Eu estava já completamente encharcada quando ele chega à minha rata e lambe-a deliciosamente, fazendo-me vibrar de tesão. A sua língua enterra-se em mim, enquanto as suas enormes mão me percorrem o corpo, apertam-me as mamas, beliscando-me os mamilos. Em seguida, eu gulosa, coloco o seu pau nas minhas mãos, apreciando aquela bela verga (tal qual o meu pepino, em dimensão).
Tento metê-lo na boca, mas revela-se deveras difícil, dado o diâmetro da sua enorme cabeça. Mas por fim lá consigo. O meu marido lambia-me a ratinha tão deliciosamente que acabo por me vir.
Estava então preparada. Era o caminho para a realização de uma grande fantasia. Sentei-me naquele enorme pau, e senti-o deslizar para dentro de mim, abrindo caminho pela minha destroçada coninha. O meu marido enfiava então o seu pau no meu cuzinho, preenchendo-me completamente. Claro que não aguentei muito, e gozei... gozei que me fartei...

Nesta altura dos meus pensamentos, os leitores adivinham por onde já andava o pepino, que acabou por ter uma finalidade um pouco diferente da prevista... Foi cá uma salada... E aí gozei mesmo...

O curioso disto tudo, é que quando à noite vim ver o blog, eis que me deparo com o texto do meu marido... Que coincidência... ou talvez não. Será prenuncio??? Quem sabe. Será que há por aí algum negrão simpático que nós venhamos a conhecer??? Que fique seduzido por isto aqui:


Fica o repto...

Ah... e já agora, se tiverem sugestões, pedidos, ou algumas questões que me queiram colocar, estão à vontade, pois terei o maior prazer em satisfazer os vossos pedidos.
Beijões.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Registo de uma tarde muito, muito, muito bem passada...

Tudo começou com esta vista deliciosa.


Ela estava majestosa, provocante e deliciosa. Como sempre, pois então.


Bem quente...


Ui este rabo... É a minha fraqueza.


Tivemos uma ajuda que ela tanto adora.

Bem... depois foi...aliás, foram, momentos lindos e maravilhosos. Mas esses não houve tempo para registar. Se os leitores pedirem muito... em próximos "post's" poderão aparecer...


A meio um pequeno descanso.



E por fim o descanso do guerreiro. Hummm....
Quero mais tardes como esta. Muitas, muitas, muitas mais...

sábado, 19 de junho de 2010

Voltámos.... com muito para contar. (Continuação)

Eu cheguei perto, e ajudei a espalhar o creme nas tuas costas.
- Diz aqui ao nosso amigo qual é o teu grande desejo.
- Nós somos swingers, e eu tenho um desejo enorme de estar com um negro, pois sei bem da fama que têm quanto aos seus dotes. Gostava de saber se é mesmo verdade.
- Com certeza não se irá desiludir.
Respondeu o tipo. Ao mesmo tempo deitaste as mãos aos seus calções, para te certificares. A tua cara era um misto de espanto e alegria.
- Uau... Parece bem que não.
Ele levantou-se, e tu puxaste os seus calções para baixo, deixando a descoberto um enorme pau, que impressionava pela grossura.
- É enorme!!!!!  Ai meu deus...
Exclamaste tu, enquanto o dirigias para a tua boca. Abocanhaste-o, mas apenas conseguias engolir aquela enorme cabeça. A tua mão agarrou-o, mas também não era suficiente. Auxiliaste com a outra, enquanto o admiravas. Fazias os possíveis para engolir aquele enorme caralho.
 - Então, agrada-te? Achas que faz justiça à fama? - Perguntei-te.
- Ui se faz... É enorme. Não sei se consigo... É mesmo enorme!!!!
- Claro que consegues minha linda.... Vou-to meter todinho, e tu vais adorar... Vou-te foder como nunca foste fodida... - respondeu-te ele, batendo-o na tua cara. Tu agarraste de novo com as duas mãos, e meteste aquela enorme cabeça negra na boca, chupando avidamente. Percorreste-o desde a base até à cabeça com a língua, numa viagem que parecia não ter fim. Deliciavas-te com aquele enorme caralho negro.
Eu tirei-te a tanguinha, e mergulhei no meio das tuas pernas. Tu estavas encharcadinha. A tua rata escorria de desejo. Eu lambi-a como sei que tu gostas, e tu gemeste baixinho, fazendo um som abafado por o pau do mulato. Enfiei-te dois dedos, sentindo o fogo que emanava de dentro de ti. Ele continuava a foder-te na boca, com pequenos movimentos.

Trocámos então de posições, e foi a vez dele te lamber essa coninha tão doce. Tu gemeste, enquanto engolias agora o meu pau, o que de certa forma te dava algum descanso aos maxilares, pois não tinhas de abrir tanto a boca. A tua língua lambia-me enquanto o enfiavas todo na tua boca.
Ele ajeitou-te na cadeira, abriu-te as pernas e apontou aquela vara à porta da tua coninha. Pressionou, e ela foi-se abrindo, deixando aquele caralhão enorme deslizar para dentro de ti.
- Aiii, tão grande... rasga-me toda.... devagar... ui... devagar... isso.... mmmm...  é enorme...
Gemias tu baixinho, enquanto ele metia em ti, iniciando devagar um vai-vem que fazia com que aquele pauzão entrasse cada vez mais na tua coninha toda arregaçada.
 Tu gemias, e pequenos grunhidos descontrolados saiam da tua garganta. Aquele caralhão enorme estava rebentando a tua ratinha. A tua cara transmitia o enorme prazer que aquele mulato te estava a proporcionar. Explodias em orgasmos que faziam tremer o teu corpo descontroladamente.
Ele tirou o pauzão de ti, deixando a tua coninha toda aberta, sentou-se e pediu-te que tu o montasses. Tu sentaste-te no seu colo, pegaste aquela vara e encaminhaste-a para a tua gruta, deslizando por ela abaixo, recebendo-a toda em ti, até desaparecer por completo. Fechaste os olhos e saboreaste aquele momento de preenchimento completo. Rebolavas e montavas naquela vara como uma verdadeira puta.
- Ohhh que bom.... tão grande... hummm... enche-me toda... que sensação maravilhosa....
Gemias, e enquanto me chupavas, eu ia massajando o teu rabo. Ainda não estavas toda preenchida.

Fui para trás de ti, e apontei o meu pau à entrada do teu rabo. Agora ias ficar completamente preenchida. Pressionei. A entrada era dificil pois a vara do mulato preenchia muito de ti. Mais um esforço e o teu rabo começou a ceder. Foi-se abrindo enquanto tu começavas a gritar.
- Aiiii... sim... fode o meu rabo... encham-me toda com esses caralhões... uiiii tão bom...
Eu podia imaginar como te estavas a sentir, pois sentia o meu pau bem apertado no teu cu, e apertava bem mais a cada estocada daquele negrão. O teu corpo estremeceu violentamente com um (ou mais) intenso orgasmo, que te deixou completamente descontrolada.
Aquela imagem transmitia-me a mim uma prazer imenso. Ver-te a gozar intensamente, com aquele pau enorme dentro de ti. As suas mãos enormes nas tuas nádegas, apertando-as, batendo. Estavam vermelhas das palmadas. Puxei-te os cabelos, e vim-me no interior do teu rabo.
Sentei-me ao vosso lado, e beijei-te.
- Isso minha puta... goza nesse pau negro enorme. Gostas de comer esse pau, não gostas???
- Mmmm.... Sim... é tão bom... Bem bom este caralhão...
Tu deitaste a cabeça no meu colo e chupaste-me. Do teu rabo escorria o meu leite. O mulatão colocou-se atrás de ti, e voltou a enfiar o seu mastro na tua coninha completamente arregaçada. Tu descansavas a tua cabeça no meu colo, enquanto eu abria as tuas nádegas para aquele caralhão te comer em grande. Era delicioso ver aquele pauzão preto desaparecer por completo por entre as tuas nádegas, para depois voltar a aparecer. As suas estocadas começaram a aumentar de intensidade, fodendo-te com força. Tu gemias e gritavas ao mesmo tempo, descontroladamente, apertavas a minha perna, cravando-me as unhas nela.

- Vai fode com força. Fode esta coninha boa. Faz a minha putinha vir-se com força...
- Fode... força,.... ahhhhhh.... tão bom..... mmmmm... Fode a minha coninha toda...
E ele bombava intensamente em ti, até tu te deixares cair em cima de mim, extasiada, sem forças.
Mas ele ainda não tinha terminado, virou a tua cabeça desfalecida no meu colo, levantou-a, e colocou a sua verga na tua boca:
- Vá minha linda.... agora vais chupar este caralho preto até eu me vir. Vais provar o leitinho do mulato aqui...
E tu, já sem forças, apenas te limitaste a abrir a boca para receber aquela enorme tora. Ele fodia agora a tua boca, ao mesmo tempo que se punhetava. Não tardou que se retirasse e explodisse o seu gozo pela tua cara, nas tuas mamas, em todo o teu corpo ardente de tesão.
- Mmmm.... Que bela foda!!!! Estou completamente arrebentada.... - Suspiraste tu enquanto esfregavas o leite do mulato pelo teu corpo, chupando por fim o dedo, e com os olhos semi-cerrados deixaste-te cair de novo no meu colo...

-Gostaste minha linda??? Aqui do cacetão do nosso amigo??? Temos de o contratar em exclusivo para dar assistência à piscina, não?
- Sempre às ordens. É um enorme prazer vir dar assistência à piscina. - Respondeu ele com ar de satisfação.
The end (or not)


(Esta história é pura ficção, mas bem pode vir a tornar-se real.... he he he)

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Voltámos.... com muito para contar. (Continuação)

Ele cumprimentou-te, e tu retribuíste com um sorriso. Eu também sorri ao reparar na dificuldade que o tipo tinha em retirar os olhos de ti enquanto falava comigo. Foi para a casa das máquinas, olhou, verificou, e depressa concluiu que estava tudo bem.
 Tu levantaste-te e perguntaste se ele queria tomar algo. Claro que queria, e não era só uma bebida com certeza.

Quando tu te afastaste para ir buscar as cervejas, os seus olhos devoravam-te. Voltaste com três cervejas geladinhas que te fizeram os mamilos ficar espetados. Seria pelo frio das cervejas??? Deste-nos a cerveja, e ele agradeceu, e aproveitou para te lançar um elogio. Tu agradeceste, com um olhar malandro. Eu concordei, e agarrei-te pela cintura, puxando-te para mim, vinquei que eras realmente uma deusa, e dei-te um beijo.
Ele sorriu, acenando, e eu convidei ele a sentar, enquanto tomava a cervejinha. Ele dirigiu-se à mesa, e eu levei-te, deitando agora aminha mão à tua nádega, que apertei, enquanto te perguntava: agrada-te?
Tu sorriste para mim, e acenaste que sim, com cara de "sacanagem"... Os bicos das tuas mamas continuavam espetados, dando a entender que aquela situação, em top-less diante daquele mulato, também te estava a excitar.
Enquanto bebiamos a cerveja, eu recebi um telefonema, pelo que tive de ir procurar umas coisas dentro de casa, e vocês ficaram os dois em animada conversa. Claro que a minha saída foi encenada, mas tu aproveitaste a deixa, e pediste logo ao rapaz para te colocar um pouco de protector nas costas (o tipico...).
Ele, claro, aproveitou a deixa, e seguiu logo atrás de ti (sem tirar os olhos do teu rabo).

Tu ajeitaste a toalha na espreguiçadeira (com o rabo bem na frente dele), e deitaste-te de costas para cima. Ele espalhou o creme pelas tuas costas. Começou pelos ombros, deslizando para baixo, percorreu-te até à cintura. Foi-se aventurando para as laterais do teu corpo, fazendo agora o trajecto inverso. Subiu pelas tuas costas, chegando a tocar nas tuas mamas esborrachadas pelo teu corpo. Num percurso de sobe e desce, foi-se aventurando, até às tuas ancas, chegando a tocar ao de leve nas tuas nádegas roliças. Tu ao sentires o seu toque, fizeste um movimento com a cintura de encontro às suas mãos, ao mesmo tempo que viraste a cabeça para lhe dizer que estava tudo bem. Não havia problema e podia estar à vontade. Nesse momento apareci, e para sossegar a sua cara de espanto, disse-lhe também que não havia problema. Estava tudo bem,  e podia continuar. Ele entendeu, e começou a espalhar o creme pelas tuas nádegas, descendo pelas tuas pernas, e fazendo o percurso inverso pelo seu interior. Já dava para ver a sua artilharia a querer libertar-se.

(Continua)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Nova funcionalidade - Blog interactivo

Olá amigos. Depois de tanto tempo sem fazer nenhum post, vamos tentar agora dinamizar o blog. Já fizemos algumas alterações, pelo que colocámos uma nova funcionalidade (aqui ao lado) que se chama "FAÇA-NOS UMA PERGUNTA".
Poderão os nossos visitantes fazer-nos perguntas, sugestões, colocar-nos desafios, enfim... o que quiserem. Nós iremos colocar aqui as respostas o mais breve possível.
Esta também é uma forma de vocês nos manterem interessados, pois o vosso contributo é deveras importante para o andamento deste blog. Desta forma nós tentamos satisfazer os vossos pedidos, e vocês interagem conosco. Quem sabe não dará frutos....

Vamos lá a participar amigos.

O que eu amo... O que eu gosto de satisfazer.

Eu amo este peito...


Eu amo estas mamocas..



Eu amo este corpo....



Eu amo este corpo.... e adoro satisfazê-lo... de qualquer maneira. De qualquer jeito...


sábado, 5 de junho de 2010

Voltámos.... com muito para contar.

Pois é. Voltámos. E neste interregno muita coisa se passou. Pelo que há também muito que contar. E para começar em bem e voltar a cativar os leitores que entretanto se afastaram, vamos começar por contar a o que se passou quando foram feitas as obras para a piscina na nossa casa de campo .
Enquanto as obras decorreram, eu reparava como os gajos que trabalhavam lá olhavam para ti quando passavas perto. Eu também reparava como tu aparecias na frente deles, e como te apercebias e apreciavas os seus olhares. Eu sei bem como gostas de ser apreciada. Se os olhos comessem, minha linda, tu eras bem devorada. E tu que tanto gostas de ser comida. E eu que tanto gosto de te comer.
Por aqueles dias, vi como tu vestias uns calções apertados, que evidenciavam a tanga que te define tão bem esse rabo empinado. Vi também como te agradava passar por os empregados a perguntar se precisavam de alguma coisa. Desde que te sentisses admirada. E com certeza muito desejada. Mas isso sabes tu.
Nos dois últimos dias ficou apenas um dos empregados, pois eram os trabalhos finais de limpeza, e tu, muito prestativa, como sempre a ver se precisava de alguma coisa. É claro que o que ele precisava todos sabíamos.
E o que tu gostavas de receber pela tua amabilidade também eu sabia.

O tipo era um rapaz de cerca de vinte e poucos anos, mulato, de certa forma musculado, e com o corpo bem definido. Com o calor ele vestia apenas uma T-Shirt e uns calções de praia que lhe deixavam adivinhar a sua artilharia. E isso também não te passou desapercebido. Eu sei como te agrada um negão, como te excita a sua pele negra, como gostas de um pau grande preenchendo-te completamente. Pois é. E como eu sei isso tudo, também me excitava aquele jogo. E tratei de arranjar a coisa. Disse-lhe se poderia vir no fim-de-semana seguinte, que a piscina já estaria cheia, para ver se tudo estaria a funcionar correctamente, e se não haveria problemas. O tipo respondeu que viria sim, até porque isso fazia parte do serviço.

Chegou o fim-de-semana, e tu aproveitaste para trabalhar para o bronze, à beira da piscina. Vestiste uma tanguinha, e sem a parte de cima do bikini deitas-te-te numa espreguiçadeira.


Era majestosa a visão do teu corpo meio transpirado meio oleado com o creme protector, brilhando ao sol. A campainha da porta tocou, e eu fui abrir. Era o mulato da piscina que vinha ver se estava tudo ok. Eu disse a ele para entrar, e verificar por ele próprio, pois a mim parecia-me que estava tudo perfeito. Tua ao veres ele entrar, ficaste meio sem jeito, mas eu fiz-te sinal para te deixares ficar na boa, sem problemas. Os olhos dele é que quase saíram de órbita quando te viram deitada, sem soutien a apanhar sol.



(Continua)